Como armazenar músicas sem compactar áudio

Descubra como gerenciar arquivos de música descompactados e sem perdas, sem sacrificar espaço em disco.

Entenda a qualidade do som

Seja você um ouvinte apaixonado ou um compositor apaixonado, quer ter certeza de que sua biblioteca de música oferece a melhor qualidade possível para suas faixas favoritas. A compressão de áudio é uma técnica usada para reduzir o tamanho do arquivo, facilitando o armazenamento de músicas, mas, ao reduzir o tamanho do arquivo, a qualidade também diminui.

Ao construir sua biblioteca de música, não deixe que as limitações de armazenamento atrapalhem a qualidade do som. Vamos explorar aqui algumas dicas para garantir que você ouça sua música como ela deve ser ouvida.

Existem alguns fatores diferentes que afetarão a qualidade de um arquivo de áudio. Obviamente, quanto maior a qualidade, melhor, mas, com áudio de alta fidelidade, podem surgir problemas de armazenamento, pois esses arquivos tendem a ser enormes.

A qualidade do áudio é medida, na maioria das vezes, pela taxa de amostragens e profundidade de bits, que resumiremos abaixo. Outro termo importante ao considerar a qualidade do som é o áudio “sem perdas” ou, pelo contrário, “com perdas”. Cada formato de áudio digital oferecerá diferentes recursos em termos de taxa de amostragem, profundidade de bits e compactação.

O que é taxa de amostragem e profundidade de bits?

Quando falamos sobre a qualidade de um arquivo de áudio, geralmente estamos falando sobre taxa de amostragem e profundidade de bits.

O áudio é, essencialmente, analógico. Sem exageros, o áudio nada mais é do que vibrações ou ondas que viajam pelo ar. As ondas que criam sons devem ser convertidas, digitalizadas, usando o que se conhece por transdutores, como microfones e amplificadores, por exemplo, que transformam essas ondas sonoras em sinais elétricos.

Um sistema digital pode então gravar esses sinais elétricos por “amostragem”. A taxa de amostragem de um arquivo de áudio é semelhante à taxa de quadros de um arquivo de vídeo. Considere o fato de que um vídeo é uma coleção de fotos, ou quadros, juntos. Uma taxa de quadros mais rápida significa que o vídeo se move de um quadro para o outro mais rapidamente, tornando um vídeo mais suave. Com uma música é o mesmo, mas, em vez de ser uma coleção de quadros, é uma coleção de amostras de sinais de áudio.

Então, quanto mais rápida for a taxa de amostragem, mais suave será o áudio. O arquivo de áudio médio, como áudio em um CD, tem uma taxa de amostragem de 44,1 kHz, ou 44.100 amostras por segundo, enquanto um arquivo de “alta resolução” normalmente tem uma taxa de amostragem de 96kHz, 96.000 amostras por segundo ou superior.

A profundidade de bits é semelhante à resolução de um vídeo. Em um vídeo, a resolução é definida pelo número de pixels em um quadro e, em uma música, a profundidade de bits representa quantos bits criam um som. Quando se obtém uma amostra de um sinal de áudio, as suas informações de som são extraídas e armazenadas na forma de bits. Uma taxa de bits mais alta significa que mais informações podem ser armazenadas dentro de cada amostra, portanto, quanto maior a taxa de bits, mais precisamente um arquivo de áudio digital replica o original.

Hoje em dia, o áudio de 24 bits e 96 kHz seria considerado de “alta resolução”.

O que é áudio sem perdas?

Através do processo de compressão de áudio com perdas, os arquivos de áudio são reduzidos e, no processo, eles perdem pequenos pedaços de dados. Se você compactar um arquivo de áudio em um formato com perdas e depois descompactá-lo, não será possível recuperar esses detalhes perdidos. A compactação sem perdas permite comprimir um arquivo de áudio sem perder nenhuma dessas informações importantes.

Você pode ouvir um arquivo de áudio com perdas e provavelmente ainda ouvir cada harmonia e cada linha de baixo, mas você provavelmente vai perder alguns dos pequenos detalhes da produção da música. Se você se considera um tipo de audiófilo, a diferença entre um arquivo de áudio sem perdas e um com perdas provavelmente é bastante perceptível. Se você está gravando sua própria música, o áudio sem perdas é absolutamente essencial.

MP3 e outros arquivos de áudio compactados e com perdas são mais fáceis de manusear pelo hardware e, claro, mais fáceis de armazenar, e é por isso que são mais comuns. Os serviços de streaming como o Spotify usam áudio compactado e com perdas, mesmo para contas Premium, porque, com as milhões e milhões de músicas disponíveis, o áudio sem perdas e sem compactação usaria muita largura de banda.

Formatos de arquivo de áudio

Além da qualidade do som, outros fatores importantes quando se trata de tipos de arquivos de áudio digital incluem tamanho do arquivo e suporte a metadados. Metadados se referem a informações armazenadas em um arquivo. No contexto dos arquivos de música, os metadados podem incluir arte da capa, artista, álbum, título da música e qualquer outra informação relacionada à faixa. Quando você importa um arquivo de áudio para um player de música como o app Apple Music, ele poderá ler esses metadados e categorizá-los e etiquetá-los corretamente com todos os detalhes relevantes.

Você provavelmente já ouviu falar de muitos dos formatos de arquivo listados abaixo. Estes são os formatos de áudio mais comuns, e cada um oferece diferentes qualidade de som, tamanho de arquivo, suporte a metadados e compatibilidade do sistema operacional.

Formatos de áudio com perdas

MP3

MP3 é o formato de arquivo de áudio mais popular. Arquivos MP3 são compactados e são o formato preferencial devido ao seu tamanho reduzido de arquivo. MP3 é ideal por razões de armazenamento, especialmente para manter música em seu smartphone que pode ter espaço bastante limitado, mas a qualidade do som não é ótima. Oferecer tamanhos de arquivos tão baixos é o que permitiu que os MP3 players triunfassem, abrindo caminho para iPods e, posteriormente, para smartphones.

AAC

Os arquivos AAC também são compactados e com perdas, mas oferecem melhor qualidade de som do que os arquivos MP3. AAC é o formato usado para streaming de música no YouTube e Apple Music e em músicas que você baixa do iTunes. AAC é a resposta da Apple para o MP3.

WAV

WAV é o formato em que o áudio de CD é normalmente codificado. Estes são arquivos descompactados e sem perdas que oferecem uma excelente qualidade de som, mas ocupam muito espaço. Os arquivos WAV também são limitados no tipo de metadados a que podem oferecer suporte e, quando você está criando sua biblioteca de música on-line, os metadados podem ser muito importantes.

Ogg Vorbis

OGG, ou Ogg Vorbis, é um formato de compactação de código aberto, com perdas, semelhante ao MP3 e ao AAC, mas mais versátil, e não está vinculado a licenças e patentes. Este é o formato de arquivo usado para música no Spotify. 

Formatos de áudio sem perdas

WAV

WAV é o formato em que o áudio de CD é normalmente codificado. Estes são arquivos descompactados e sem perdas que oferecem uma excelente qualidade de som, mas ocupam muito espaço. Os arquivos WAV também são limitados no tipo de metadados a que podem oferecer suporte e, quando você está criando sua biblioteca de música on-line, os metadados podem ser muito importantes.

AIFF

O AIFF é o equivalente da Apple ao WAV. Este é um formato de áudio de alta resolução, descompactado e sem perdas, então você pode esperar uma excelente qualidade ao custo do espaço de armazenamento. O AIFF oferece melhor suporte a metadados do que o WAV.

FLAC

Os arquivos FLAC exigem cerca de metade do espaço que os arquivos WAV exigem, enquanto ainda oferecem áudio de alta resolução e sem perdas. Este é um formato livre de royalties que é usado principalmente para baixar álbuns de alta qualidade, mas para usuários da Apple, os arquivos FLAC só são acessíveis através do aplicativo Arquivos e não são suportados pelo aplicativo Música.

MQA

MQA é o que permite que o Tidal ofereça masters de alta resolução com qualidade fenomenal. É um formato sem perdas, mas é compactado por isso é mais adequado para um serviço de streaming.

ALAC

A resposta da Apple para o FLAC é o ALAC. Como o FLAC, este é um formato de compactação sem perdas que pode lidar com áudio de alta resolução. Ele oferece suporte a metadados e usa cerca de metade do espaço que um arquivo WAV usa. O que o diferencia do FLAC é que, como o formato próprio da Apple, é mais compatível com o iTunes e com dispositivos iOS.

O que acontece durante a compressão de arquivos de áudio?

Ao baixar uma música, você está baixando uma cópia ou reprodução do arquivo de áudio original. Um arquivo descompactado e sem perdas é a reprodução mais próxima que você pode obter.

Para reduzir o tamanho do arquivo, algoritmos de compactação são usados para remover partes de uma música que o sistema acredita que não serão audíveis para o ouvido humano. Ao tornar sons de baixa frequência mais altos, a ausência de sons de alta frequência torna-se menos perceptível. Esse processo é chamado de “mascaramento".

No lado da produção, a compressão de áudio pode ser uma técnica útil. Neste contexto, o processo de compactação funciona reduzindo a faixa dinâmica em sinais de áudio. O intervalo dinâmico se refere à amplitude do volume, a diferença entre o volume mais baixo e o mais alto que um áudio é capaz de produzir.

Se um produtor tem um som que é muito alto no início, mas diminui ao longo do tempo, ele pode querer compactá-lo para reduzir a diferença de volume entre as duas partes. Compactar um som normalmente reduz seu volume geral no início, mas isso pode ser compensado com um ganho de compensação, que pode, em última análise, tornar o som muito mais alto do que inicialmente. Ambos os plug-ins de compactação e suas contrapartes analógicas permitem que os usuários controlem o caráter do som produzido pela compactação manipulando o tempo de ataque, o tempo de liberação e os controles de ganho (ganho de compensação e redução de ganho).

A compressão de áudio é útil para mixagem e masterização, mas, quando se trata de salvar e armazenar sua música, a compactação de um arquivo de áudio pode fazer mais mal do que bem.

Quais formatos de áudio sem perdas são os melhores?

É importante notar que “sem perdas” e “descompactados” não é a mesma coisa. Veja os arquivos FLAC, por exemplo. Esses arquivos são compactados para cerca de metade do tamanho de um arquivo WAV ou AIFF, mas ainda não têm perdas. Capazes de oferecer uma resolução de 32 bits, 96 kHz, os arquivos FLAC podem fornecer melhor áudio do que a qualidade de CD (16 bits, 44,1 kHz).

Portanto, se você está procurando uma maneira de armazenar sua música sem qualquer perda de qualidade, mas ainda precisa ser bastante conservador com o espaço, FLAC seria a resposta. Se você é um usuário de Mac ou iOS, o ALAC é a melhor alternativa para o FLAC.

No entanto, se quiser áudio verdadeiramente descompactado e sem perdas, então o melhor é WAV ou, para usuários de Mac ou iOS ou aqueles que procuram um melhor suporte a metadados, AIFF. A compactação sem perdas é excelente, mas nunca pode corresponder à qualidade oferecida por um formato sem perdas e sem compactação.

Embora você queira a melhor qualidade de áudio possível para sua música favorita, ainda precisa ter cuidado quando se trata de espaço de armazenamento. Você não encontrará um formato de áudio que seja eficiente em termos de espaço e que ofereça um som excepcional e sem perdas, então o que pode fazer?

Armazenamento em nuvem de música sem perdas

Seja você mesmo um músico ou simplesmente um ouvinte entusiasmado, quer ter certeza de que pode armazenar todas as suas músicas de forma segura sem comprometer a qualidade. Com isso em mente, manter tudo salvo no seu dispositivo provavelmente não é o ideal.

Com o armazenamento em nuvem do Dropbox, você pode armazenar arquivos de áudio de alta resolução de qualquer formato na nuvem, para que possa acessá-los de qualquer dispositivo que se conecte à Internet. O Dropbox não compacta seus arquivos à medida que você os envia ou os altera de forma alguma, então você pode ter certeza de que, se estiver enviando um arquivo WAV, por exemplo, poderá esperar que sua alta qualidade de áudio permaneça intacta.

Como tudo é armazenado na nuvem, você não precisa se preocupar com o espaço em disco, o que lhe dá a liberdade de desfrutar de uma biblioteca de música inteira de áudio sem perdas e sem compactação, da maneira como se deve ouvir. Você pode ouvir suas músicas do próprio Dropbox, que pode até atuar como seu próprio serviço de streaming pessoal.

Ele também facilita o compartilhamento de música, quer você esteja compartilhando sua nova música favorita com amigos e familiares ou colaborando com colegas de banda. Com o Dropbox, você pode compartilhar rapidamente arquivos de áudio grandes e de alta qualidade com o clique de um botão e, como tudo está na nuvem, tudo será enviado em um instante.