E-mail

Usar e-mail para compartilhar arquivos

Em empresas sem uma solução formal para compartilhamento de arquivos, os membros de muitas equipes acabam colaborando enviando anexos de e-mail uns para os outros. Essa é uma maneira simples de compartilhar arquivos, já que a única tecnologia necessária é uma já utilizada no dia a dia. No entanto, essa simplicidade tem um preço: a sincronização dos arquivos, segurança e falta de suporte para documentos grandes.

Contexto

A Simple Mail Transfer Protocol (SMTP), uma das tecnologias centrais usada para a entrega de e-mails, foi desenvolvida para enviar apenas mensagens de texto entre usuários. As limitações desse projeto têm tido grandes consequências para o desenvolvimento do e-mail.

MIME

Para resolver o problema dessas limitações do formato de e-mail apenas de texto, foi criado o padrão Multipurpose Internet Mail Extensions (MIME). O MIME adiciona suporte para anexos de arquivo que não sejam texto, bem como para mensagens de e-mail em múltiplas partes. Ambos os recursos são importantes para o compartilhamento de arquivos.

O MIME codifica anexos de arquivo como blocos de texto. Isso apenas transforma seu arquivo em um formato que o SMTP pode processar. Ele não criptografa seus dados. Além disso, mensagens MIME também contêm informações sobre o tipo de arquivo, para que os programas de e-mail saibam como lidar com eles. O que permite que você inclua uma mensagem de texto e um arquivo no mesmo e-mail são as mensagens em múltiplas partes.

Note que MIME e SMTP são padrões complementares. O primeiro define os conteúdos de um e-mail, e o segundo define como esse e-mail chega até um destinatário. Para simplificar, pense no conteúdo MIME como uma “carta” que chega envolta em um “envelope” SMTP.