O que é o caminho crítico?

Simplifique sua vida de trabalho com o método de caminho crítico para que você possa garantir que seu projeto esteja sempre dentro do prazo e do orçamento.

Método de caminho crítico explicado

Quando você está gerenciando um projeto complexo com muitas partes móveis e datas de entrega em evolução, pode ser difícil entregar dentro do prazo e do orçamento. Há uma ampla gama de ferramentas de gerenciamento de projetos que podem ajudá-lo a atingir essas metas, uma das quais é o método de caminho crítico (CPM).

Então, o que é um caminho crítico?

CPM é uma técnica de modelagem de projeto que você pode usar para analisar, planejar e programar projetos complexos. Em essência, o método de caminho crítico requer que você liste todas as atividades que precisam ser feitas para conclusão de um projeto, o tempo que cada atividade levará e as dependências entre essas atividades. O caminho crítico em si é o tempo mais longo que você levará para concluir o projeto geral, o que proporciona a você uma visão sobre a melhor forma de estruturar seu cronograma do projeto para garantir que ele seja entregue no prazo e a um custo mínimo. Em outras palavras, o método do caminho crítico ajuda você a entender a linha do tempo ideal para concluir seu projeto.

A história da análise do caminho crítico

O CPM foi desenvolvido no final da década de 1950 por James E. Kelley da Remington Rand e Morgan R. Walker da DuPont. Eles estavam tentando encontrar maneiras de reduzir os custos associados às paradas e reinicializações da fábrica que estavam sendo causadas por uma programação ineficiente. Garantindo que as tarefas certas fossem realizadas nos momentos certos, em vez de simplesmente resolver o problema com mão de obra adicional, eles descobriram que os custos excessivos poderiam ser evitados.

Kelley e Walker publicaram um artigo sobre sua pesquisa em 1959, embora a DuPont tenha afastado a técnica depois que a equipe de gerenciamento responsável por ela mudou. Por volta da mesma época, a Marinha dos EUA e a Booz Allen Hamilton desenvolveram uma técnica semelhante, PERT (do inglês, técnica de avaliação e revisão de programa), que foi onde o termo “caminho crítico” se originou. Na verdade, a análise de caminhos críticos teve suas raízes em algumas técnicas da DuPont que datam do início da década de 1940, em que ela contribuiu para o sucesso do Projeto Manhattan.

Embora o interesse da DuPont no método de caminho crítico tenha diminuído no início da década de 1960, algumas outras empresas começaram a usá-lo para supervisionar grandes projetos, incluindo Mauchly Associates e Catalytic Construction. Inicialmente, o acesso a computadores mainframe especializados e volumosos era necessário para usar o CPM. Como resultado, o custo do gerenciamento de projetos de caminho crítico era uma barreira significativa para seu uso. No entanto, depois que a revolução do PC e as inovações em hardware/software de computador possibilitaram a realização do gerenciamento de cronogramas em um computador desktop padrão, o uso do caminho crítico tornou-se muito mais difundido.

Como funciona o gerenciamento de projetos de caminho crítico?

O primeiro estágio do método de caminho crítico tem quatro etapas básicas. Veja como elas funcionam mais detalhadamente:

  1. Listar todas as tarefa/atividades: primeiro, você precisará listar todas as tarefas e atividades necessárias para a conclusão do projeto em uma WBS (do inglês, estrutura de detalhamento de trabalho). De um modo geral, isso deve incluir apenas tarefas críticas e atividades de nível superior (em vez de detalhes granulares), pois é possível que a análise de caminhos críticos se torne muito complexa para gerenciar se uma visão geral detalhada de todas as atividades for incluída.
  2. Calcule a duração de cada tarefa: em segundo lugar, você precisará calcular o tempo mais longo que cada tarefa de caminho crítico precisará para ser concluída. Claro, uma duração de atividade precisará ser uma estimativa, então use sua experiência, bem como o conhecimento de seus colegas, para dar um palpite bem embasado. Você também precisará listar cada tarefa de acordo com a data mais antiga em que ela pode iniciar e terminar sem atrasar o projeto.
  3. Estabelecer dependências de tarefa: em seguida, você deve coletar quaisquer dependências de tarefa, onde uma primeira atividade ou tarefa predecessora determina a data de início da tarefa sucessora. Para resolver as tarefas dependentes do seu projeto, faça as seguintes perguntas quando estiver listando atividades:

    a. Qual tarefa precisa ser concluída antes que essa tarefa possa começar?
    b. Qual tarefa deve acontecer imediatamente após essa tarefa?
    c. Qual tarefa deve ser concluída ao mesmo tempo que esta tarefa?
  4. Anote marcos importantes do projeto: finalmente, é importante anotar os principais marcos do projeto, bem como as entregas do projeto.

Depois de reunir todos esses dados, você precisará construir um modelo para visualizar suas atividades de projeto. Existem vários modelos diferentes que você pode usar, desde gráficos simples e diagramas de rede até visualizações de diagramas de Gantt. Em seguida, usando este modelo, você pode elaborar o caminho crítico do próprio projeto. Apenas como lembrete, esse é o caminho mais longo de suas atividades planejadas até o final do projeto, bem como as datas/horas mais antigas e mais recentes que cada atividade pode começar sem atrasar o projeto. Isso também mostrará a duração mais longa do projeto necessária para a conclusão.

Depois de definir o caminho crítico, você pode identificar quais itens são “atividades críticas” e quais têm “flutuação total” (pode ser adiada sem estender o projeto). Em seguida, você pode usar essas informações para rastrear rapidamente os horários de início de determinadas tarefas, encurtando o tempo do projeto, se necessário, e gerenciar restrições de recursos de forma mais eficaz.

Vantagens do método do caminho crítico

Existem vários benefícios importantes associados ao gerenciamento de projetos do caminho crítico. Em primeiro lugar, ele ajuda os gerentes de projeto a identificar as tarefas mais importantes dentro do seu projeto. Se alguma das suas atividades do caminho crítico tiver um horário de início tardio ou levar mais tempo do que o esperado, todo o projeto será afetado. Por isso, é útil que os gerentes de projeto tenham um plano de projeto que identifique quais tarefas precisam ser gerenciadas mais de perto do que outras. Também é importante considerar o fato de que a análise do caminho crítico pode ajudar a reduzir as linhas do tempo do projeto. Depois de realizar sua análise, você terá visibilidade sobre as tarefas mais adequadas à redução de duração.

Além disso, o gerenciamento de projetos do caminho crítico pode tornar o processo de avaliação de risco muito mais fácil. Depois de estabelecer dependências de tarefas, é relativamente simples descobrir qual será o efeito de um prazo perdido no próximo material de entrega. Além disso, a análise do caminho crítico fornece aos gerentes de projeto a estrutura perfeita para medir o progresso real do projeto em relação ao progresso esperado. Ao rastrear seus resultados em relação à linha de base original, você pode descobrir onde estão as ineficiências e tomar medidas para eliminá-las do seu fluxo de trabalho.

O caminho crítico serve para mim?

A análise do caminho crítico pode ser usada para praticamente qualquer tipo de projeto, incluindo pesquisa, engenharia, desenvolvimento de produtos, desenvolvimento de software, construção e assim por diante. Se as seguintes afirmações forem verdadeiras para o projeto que você está começando, então o método do caminho crítico poderá ser apropriado:

  • As atividades são bem definidas e, quando terminadas, sinalizarão a conclusão do projeto.
  • As atividades são ordenadas e precisam ser realizadas em sequência. Por exemplo, materiais para um projeto de construção precisam ser obtidos antes que a construção real possa começar.
  • As atividades podem ser interrompidas e iniciadas de forma independente dentro de determinada sequência (sem contar as atividades de processo de fluxo contínuo, como o refino do petróleo).

Como você pode ver, o gerenciamento de projetos do caminho crítico pode ser adequado para uma ampla gama de setores e projetos. Mas você não precisa adotar completamente o caminho crítico para se beneficiar de seus efeitos. Se houver um elemento do CPM que funcione para você, pode ser benéfico integrá-lo ao seu processo de gerenciamento de projeto. Em última análise, a adaptabilidade é uma das principais qualidades de um gerente de projeto bem-sucedido.

Usando o caminho crítico com sua equipe

Agora que você sabe um pouco mais sobre o método do caminho crítico, vale a pena pensar em como você pode fazer uso dele dentro de sua organização. O Dropbox oferece algumas ferramentas que podem ajudá-lo a implementar análises do caminho crítico. Por exemplo, o Dropbox Paper pode ajudá-lo a gerenciar todo o roteiro do projeto a partir de um único local, tornando-o uma maneira ideal de modelar o gerenciamento de projetos do caminho crítico. Primeiro, use o modelo de planejamento do projeto para orientar os membros da equipe durante o projeto, em cada etapa do caminho. Em seguida, delegue tarefas aos membros da equipe apropriados, crie listas de tarefas para garantir que seu projeto se mova em um ritmo ideal e use ferramentas de gerenciamento de tarefas para obter uma perspectiva de alto nível sobre as tarefas atribuídas à sua equipe.

Conclusão

Em última análise, o método do caminho crítico fornece clareza, oferecendo uma representação visual de todo o fluxo de trabalho do projeto, do início ao fim. Ao identificar o “caminho crítico”, você pode garantir que os recursos sejam alocados para as tarefas mais importantes e otimizar a velocidade com que os projetos críticos são concluídos e entregues.